Skip to content

>Orações Subordinadas Substantivas

fevereiro 21, 2011

>


Hoje estudaremos as orações subordinadas substantivas.

Primeiramente, temos que entender o porquê do nome: oração porque há verbo; subordinada porque exerce função sintática, estando, portanto, subordinada a outro verbo; substantiva porque a função que ela exerce é normalmente própria de um substantivo. O “outro verbo” fará parte da oração principal do período.

São seis as orações subordinadas substantivas, que são iniciadas por uma conjunção subordinativa integrante (que,se), a não ser que estejam reduzidas; nesse caso, não haverá a conjunção integrante, e o verbo estará no infinitivo, no particípio ou no gerúndio. Vamos às orações:

A) Oração Subordinada Substantiva Subjetiva:

É a oração que funciona como sujeito da oração principal. Para encontrar o sujeito de qualquer verbo, deve-se perguntar a ele “Que é que…?”

Existem três estruturas de oração principal que se usam com subordinada substantiva subjetiva:

1)Verbo de ligação + predicativo + oração subordinada substantiva subjetiva.

Ex: É necessárioque façamos nossos deveres.

Em que “É” é verbo de ligação,“necessário” funciona como predicativo do sujeito e “que façamos nossos deveres”, como oração subordinada substantiva subjetiva, pois, se perguntarmos ao verbo “ser” “Que é que é necessário?”, obteremos como resposta “que façamos nossos deveres”.

2) Verbos como convir, constar, parecer, importar, interessar, suceder, acontecer + oração subordinada substantiva subjetiva.

Ex: Convémque façamos nossos deveres.

Em que “Convém” tem como sujeito “que façamos nossos deveres”, pois, se perguntarmos a ele “Que é que convém?”, obteremos como resposta “que façamos nossos deveres”.

3)Verbo na voz passiva + oração subordinada substantiva subjetiva.

Ex: Foi afirmadoque você subornou o guarda.

Em que “Foi firmado” é locução verbal passiva que tem como sujeito “que você subornou o guarda”, pois se perguntarmos à locução verbal “Que é que foi afirmado?”, obteremos como resposta “que você subornou o guarda”.

B) Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta:

É a oração que funciona como objeto direto da oração principal. O objeto direto é o complemento do verbo transitivo direto. Constata-se que um verbo é transitivo direto, colocando-o no seguinte esquema:“Quem …… , ……. algo”; o “algo” funcionará como objeto direto. Por exemplo, o verbo “comprar”: Quem compra, compra algo.

Ex:Todos desejamosque seu futuro seja brilhante.

Em que “desejar” é verbo transitivo direto, pois “quem deseja, deseja algo”.“Todos desejamos” o quê? Resposta:“que seu futuro seja brilhante”, portanto o nome da oração é subordinada substantiva objetiva direta.

C) Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta:

É a oração que funciona como objeto indireto da oração principal. O objeto indireto é o complemento do verbo transitivo indireto. Constata-se que um verbo é transitivo indireto, colocando-o no seguinte esquema:“Quem …… , ……. + prep + algo”; o “algo” funcionará como objeto indireto. Por exemplo, o verbo “precisar”: Quem precisa, precisa de algo.

Ex:Lembro-me deque tu me amavas.

Em que “lembrar-se” é verbo transitivo indireto, pois quem se lembra, lembra-se de algo.“Lembro-me” de quê? Resposta:“de que tu me amavas”, portanto o nome da oração é subordinada substantiva objetiva indireta.

D) Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal:

É a oração que funciona como complemento nominal de um termo da oração principal, que será um substantivo abstrato, um adjetivo ou um advérbio. O complemento nominal é sempre antecedido de uma preposição, logo todas as orações subordinadas substantivas completivas nominais são iniciadas por preposição que provenha de substantivo abstrato, de adjetivo ou de advérbio.

Ex: Tenho necessidade de que me elogiem. Em que “necessidade” é substantivo abstrato que exige a preposição “de”, pois quem tem necessidade, tem necessidade de algo. A oração “de que me elogiem”, então, é subordinada substantiva completiva nominal.

Não se lembra do que é um subtantivo abstrato? É todo substantivo que indique prática de ação verrbal, existência de qualidade ou sentimentos e emoções. Por exemplo: o substantivo “amor” indica a ação de “amar”; o substantivo “beleza” indica a existência da qualidade “belo”;“saudade, dor, paixão” são sentimentos.

E) Oração Subordinada Substantiva Apositiva:

É a oração que funciona como aposto da oração principal. Em geral vem após dois pontos ou, mais raramente, entre vírgulas e explica o sentido da oração principal que deve estar completa sintaticamente.

Ex:Todos querem o mesmo destino:que atinjamos a felicidade.

A oração “que atinjamos a felicidade” está após dois pontos e explica o sentido da oração principal qual o destino que todos querem? Resposta: atingir a felicidade. É, portanto, oração subordinada substantiva apositiva.

F) Oração Subordinada Substantiva Predicativa:

É a oração que funciona como predicativo do sujeito da oração principal. Sempre surgirá com a seguinte estrutura:(sujeito) + VL + oração subordinada substantiva predicativa.

Ex: A verdade éque nunca nos satisfazemos com nossas posses.

Em que “a verdade” funciona como sujeito do verbo “ser” e a oração “que nunca nos satisfazemos com nossas posse”, como subordinada substantiva predicativa.

*Nota: As orações subordinadas substantivas podem vir introduzidas por outras palavras, como, por exemplo:

•Pronomes interrogativos (quem, que, qual…)

•Advérbios interrogativos (onde, como, quando…)
– Por exemplo:
Perguntou-se quando ele chegaria.
Não sei onde coloquei minha carteira.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: